Páginas

Resenha: Loney

Autor: Andrew Michael Hurley
Páginas: 304
Editora: Intrínseca
Sinopse:
Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era criança e visitou o lugar.
À época, a mãe de Smith arrastou a família para aquela região numa peregrinação de Páscoa com o padre Bernard, cujo antecessor, Wilfred, morrera havia pouco tempo. Cabia ao jovem sacerdote liderar a comunidade até um antigo santuário, onde a obstinada sra. Smith crê que irá encontrar a cura para o filho mais velho, um garoto mudo e com problemas de aprendizagem.

O grupo se instala na Moorings, uma casa fria e antiga, repleta de segredos. O clima é hostil, os moradores do lugar, ameaçadores, e uma aura de mistério cerca os desconhecidos ocupantes de Coldbarrow, uma faixa de terra pouco acessível, diariamente alagada na alta da maré. A vida dos irmãos acaba se entrelaçando à dos excêntricos vizinhos com intensidade e complexidade tão imperativas quanto à fé que os levou ao Loney, e o que acontece a partir daí se torna um fardo que Smith carrega pelo resto da vida, a verdade que ele vai sustentar a qualquer preço.
Opinião:
Desde que esse livro foi anunciado pela intrínseca, estou o desejando. Comprei com uma expectativa enorme que ele seria o meu suspense favorito do ano, porém, isso não aconteceu. O livro seguiu um rumo que eu sinceramente não esperava, até ai tudo bem, pois já no começinho ele dava indícios que no desenrolar viraria um suspense daqueles. Mas chegou o desfecho da história, e nada.
Os personagens eram instáveis, suas personalidades eram difíceis de compreender, o local que o autor colocou o grupo de viajantes era perfeito para desenvolver o suspense. Poucas vezes os personagens foram colocados em “perigo”, porém sempre era um ato passageiro que não causava nenhum baque na história.
Gostei muito da escrita do autor, e o desfecho da trama me prendeu um pouquinho e me fez dar três estrelas na classificação do livro. Achei um pouco assustador e criativo como o autor fechou a história, porém, na minha opinião, alguns fatores poderiam ter sido esclarecidos de uma forma melhor, fiquei na duvida se o autor quis deixar por conta do leitor, ou tentou de forma um pouco desastrosa insinuar o que aconteceu em Coldbarrow.
Para mim, o livro trouxe mais o desespero de uma família em busca de ajuda, a questão da fé na vida das pessoas, do que o próprio suspense que é divulgado na capa do livro. Mesmo não sendo a minha melhor leitura do ano, o recomendo, pois o livro de alguma forma acrescentou na minha perspectiva de vida.
Essa resenha é para divulgar a minha opinião acerca do livro. Não quero incentivar ninguém a deixar de conhecer um novo autor por causa da minha concepção. Antes de escrever o post, li muito sobre o que outros leitores acharam de “Loney”, e as opiniões se dividem. Então, caro leitor, considere minhas palavras, mas sempre tenha em mente, que mesmo a leitura não sendo aquilo tudo que esperamos, no final percebemos que há sempre algo prazeroso que o livro pode nos trazer.
Onde Comprar Loney:

Um comentário:

  1. Olá.
    Eu não sou muito fã de suspense, mas a capa desse livro sempre me chamou atenção. É a primeira resenha que leio dele e gostei da sua opinião sincera.

    Beijos. | * Sorteio: A Rebelde do Deserto *

    ResponderExcluir